só o sempre ensina

 

vou vestir coleira nos meus pensamentos. não, isso não significa castrar liberdade. vou levá-los pra passear sempre, como sempre. ar fresco, copa de árvore, copo leve de cerveja leve. frouxa coleira. se acabar a desordem, espero permaneçam as palavras, nascidas de pensamentos soltos. porém educados. ó gente, como pode, ninguém nunca antes ter me contado que pensamento se educa! sentada na primeira fileira, caderno e lápis a postos, ouvidos sedentos, aprendo. nunca o tudo. mas com o sempre.

enquanto isso o amor me propõe plenitude. e me espera na porta da escola, no fim da aula.

frio na barriga é calor no coração.

 

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s