Monthly Archives: Abril 2012

Se o horizonte ficar de cabeça pra baixo, eu tropeço no galho de uma árvore e abismo o céu num mergulho gravitacional

  Areia preta é pisar na sombra do mar O pé só afunda o que pode afogar   A cor da água é a mesma de sempre cor de mar   É a cor do nada   É a cor … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Mineira que vem pra beira do mar já era morena. Já era do mar.

Uma coisa gostosa de sentir é este fio de linha envolvente que embaraça a Arte sem dar nó. É procurar um cantor e encontrar um poeta, buscar um poeta e achar uma xilogravura, contemplar uma tela e presenciar uma revolução … Continuar a ler

Publicado em Art turns Life into something you can get away with | Deixe um comentário

Quanto gozo pode vir dos 5 reais gastos num sebo? Quem mais gozaria o múltiplo dEle comigo?

“What confidence is there in these lines? As I read them over I ache in mind to perceive how pretentious, how literary-diary-like they are! In some I have even made style. Yet I suffer none the less. A man may … Continuar a ler

Publicado em Art turns Life into something you can get away with | Deixe um comentário

Amizade é perdão constante

  Eu tô dodói de esperança Dodói de esperar que as pessoas percebam que elas sintam que elas enxerguem   Eu tenho quase uma preguiça inteira Quase uma preguiça que me faz dormir pro mundo pra não precisar conviver   … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Você pode tampar o ouvido quando o barulho não fizer bem ao coração

  O camaleão pode ter a beleza de todas as cores, mas ele não pode evitar a escuridão alheia.  

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

“O mundo bem diante do nariz…”

Eu tenho algumas vezes parado pra pensar em como a gente combinava um com o outro. Em como nosso passeio de bicicleta podia ser harmônico e rotineiro. Em como nossas viagens poderiam ser bem recheadas de mordidas gastronômicas e não … Continuar a ler

Publicado em Tá na hora do cuco sair de casa! | Deixe um comentário

Permaneça na janela

  O sonho dessa noite mal dormida não foi de interpretações psicanalíticas. Freud se sentiria desempregado diante da clareza das suas palavras e da certeza do seu olhar. O fim do dia de ontem foi mais auto-suficiente que a gente e … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário