A caminho

A maravilha da Lua em vírgula  e das estrelas em pontos finais  de variadas fontes e tamanhos desmentia a manhã que começava a se escrever

A nudez da beirada da estrada enaltecia o céu como o faz a praia também com o mar e o horizonte deles dois

Viajar para o interior de Minas era esse misto de ficar mais perto do céu e mais longe de si

Um exercício sereno de pequenez para o humano que se endeusa entre concretos, ternos, jóias, carros e relógios de pulso

Se, ao invés de conferir as horas, pudéssemos acessar o céu uma mão de vezes por dia, saberíamos se realmente estamos atrasados ou adiantados demais

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s