Para o penúltimo

Um dia te mostro o mundo que eu escrevo

Um dia escrevo um mundo pra te mostrar

Afinal só você compreenderia o que eu sinto

Só contigo minhas palavras parecem conversar

Complicado ser poetisa de um leitor só

Ter que variar as palavras para não repetir o óbvio de sempre

Ter que escrever de mil formas o que poderia

Estar bem ali no primeiro verso

E está ali no primeiro verso

Pois sei que você já leu antes mesmo de estar escrito

Complicado escrever para quem já te leu

Nas entrelinhas

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s